terça-feira, 19 de julho de 2016

Tô correndo atrás da vida


Olá, tá com pressa?, sem tempo de ler este textinho?, pois fica quieto aí, só um minuto, acho bom tu ler, quem sabe tu se encaixa no contexto.

                                                  

 Estava eu aqui pensando, como nós os seres humanos somos complicados, como não percebemos certas pressões feitas por nós mesmos, que nos leva ao desespero total. A vida é feita de escolhas, somos capazes de definirmos o certo e o errado, mas muitas vezes nao somos capazes de enxergar o limite do corpo, o limite da alma.
 Um emprego dos sonhos, uma viagem super planejada, um curso superior, uma carreira de sucesso, a perfeição em  tudo que fizemos. É, parece que a exigência é nossa mesmo, porém, tudo isso tem um preço, quanto vale nos preocuparmos  com tantas ambições, quanto nos custa isso?  Muitas vezes nos custa o tempo de nossas vidas, vivemos correndo atrás do equilibrio financeiro, para daqui a alguns  anos usufruirmos os benefícios de tanta correria. O maldito stress é o companheiro inseparável desta corrida, ele vem junto, não adianta, ele cola na gente, algumas pessoas espertas, o percebem logo de cara e imediatamente colocam um freio na corrida. É,  mas não é assim com todo mundo, muitos não percebem e continuam, outros percebem, mas se sentem culpados por quererem desisitir, se sentem pressionados, pois a sociedade parece não aceitar aqueles que não correm, aqueles que não entram na disputa, aqueles que não chegam a lugar algum, outras acham que é impossível parar, pois a única saída, acreditam elas, é a corrida, sem ela o que seria?, falta de cultura, falta de dinheiro, falta de vida social, falta de vida!... Espera aí, vida, esta é a palavra mágica, o que estamos fazendo com nossas vidas?, será que vale tanto a pena perder tanto tempo correndo pra chegar no fim e ver que o tempo passou e que deixamos muitas coisa boas pelo caminho.
 O que deixamos pelo caminho? Eu me atrevo a responder. Deixamos de ser felizes, deixamos de amar como mereciam, todos aqueles que nos amam e que precisaram de nós quando estavamos correndo.
 Perdemos um tempo precioso, esquecemos até de  nós mesmos. Ah, sim, é verdade. conhecemos muitas pessoas no decorrer do caminho, aprendemos muitas coisas interessantes, ensinamos muitas coisas também, e daí?,  estamos felizes? Bom, se a resposta for sim, talvez estejamos na corrida certa, porém se for não, acho melhor nós pararmos antes que seja tarde, se não estamos felizes durante a corrida é bem provável que não seremos na faixa de chegada, se é que chegaremos.
 Na verdade o que eu quero dizer, é que não precisamos de muitas coisas para de fato sermos felizes. O que comemos, o que vestimos, o que aprendemos, não é mais importante do que a VIDA.
 Estamos muitas vezes nadando contra a maré, e não é difícil saber disso, basta nos perguntarmos: Estou feliz? 
 Use seu tempo para viver e não para correr atrás da vida. A vida está aqui no presente e não no futuro, pense nisso e seja feliz.
                                   Já deu um beijo em algém hoje?


                   Já contou uma história para seu filho hoje?
                         Já tirou uma sonequinha hoje?
                 Já coçou  seu cãozinho hoje?

                 Não fez nada disso ainda hoje? 
   Tá esperando o que para sair desta corrida e ir CORRRRRRRRRRRREEENDOOOOOOOOO fazer tudo isto?

 Ainda quero acrescentar que não devemos nos acomodar, porém não devemos correr e atropelar nossos limites.

cha-com-biscuit

No Teu Poema - Carlos do Carmo

Estrela da tarde - Carlos do Carmo

L'heure Exquise - Paul Verlaine Poem & Reynaldo Hahn Music

" Be My Love " - ( Mario Lanza )

INFÂNCIA



Quando recordo  o tempo  de criança
revivendo aquela fase linda,
envolvo-me em  magia mansa
julgando-me ser criança ainda!

Temos sempre e sentimos  dentro de nós
um pouco da linda e frágil criança,
aquela que vive simplesmente a sós
imaginando sonhos de esperança.

E neste vai e vem de nossa vida,
vez em quando uma lembrança remexida
nos torna feliz, momentaneamente.

Quase sempre é a imagem colorida
através de uma lágrima escorrida,
lembrando a criança  que fomos antigamente.


Celeste Laus
In A Décima Carta

Be my Love - Mario Lanza

'Be My Love' - Ray Conniff and His Orchestra

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem



Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem


Mensagem

Mensagem



segunda-feira, 11 de julho de 2016

O Medo que Você Nunca Admitiu


como-encarar-meus-medos


Você certamente já sentiu medo diversas vezes em sua vida e os guardou secretamente. Posso até sentir que alguns desses medos ainda o acompanha, mas você não fala sobre isso com ninguém. Não há vergonha em sentir medo, ter medo faz parte de sermos humanos: ele é a cautela para te proteger de perigos e o extinto para que você não faça mal a alguém. Então, quando se preocupar com o medo afinal?
Quando o medo te paralisa, te impede de fazer coisas que gostaria e de seguir o seu caminho, quer dizer que ele se tornou maior que você e está na hora de tomar uma atitude. Neste momento, não é hora de sentirmos vergonha, pois não existem medos grandes ou medos bobos, existe sim a importância que você dá pra ele em sua vida. O medo do escuro de uma criança de 3 anos não é mais banal do que o seu medo em não conseguir ter a carreira que deseja, o medo é proporcional aos nossos maiores anseios. Para vencê-lo, coloque como prioridade cada passo que terá que dar para alcançar o seu objetivo, escale o muro um passo de cada vez, quando perceber, já estará admirando a paisagem do outro lado.
frase-motivacional-sobre-medo
Ao enfrentar seu medo pela primeira vez, você ganhará mais força e confiança em si mesmo, tornando seu medo menor à medida que você o encara. Por fim, terá descoberto que aquele medo não te impressiona mais: como uma árvore que cresce e lá de cima vê suas folhas secas jogadas ao chão, você terá se sobreposto a ele. Deste momento em diante, você terá a certeza que o medo saudável é aquele friozinho na barriga que nos impulsiona a seguir em frente.

tendenciasaparte